skip to Main Content
REGULARIZAR UM E COMMERCE

COMO REGULARIZAR UM E-COMMERCE?

Não é incomum que os negócios online sejam conduzidos de forma irregular, isto é, sem registro para operar, ainda que no ambiente virtual. Hoje, vamos aprender como regularizar um e-commerce.

Existem bastante dúvidas para com este assunto. Muitos donos de negócios virtuais não fazem ideia se existe, de fato, uma legislação específica para lojas online.

Por muito tempo, é verdade, não houve qualquer forma de regulamentação sobre o e-commerce brasileiro. Essa situação mudou com o advento do marco civil da internet, um documento que detalha, de forma precisa, quais são as obrigações e os direitos do empreendedor que decide investir em um negócio na internet.

Dessa forma, são reduzidos os desafios relacionados a problemas com compras, vendas de itens irregulares, e assim por diante.

Agora, as lojas virtuais precisam seguir algumas regras e estar devidamente registradas, pagando impostos e realizando controles de qualidade.

Então, vamos logo aprender como regularizar um e-commerce!

REGULARIZAR UM E-COMMERCE POSSUI BENEFÍCIOS?

Quando um negócio virtual não é devidamente registrado e não está dentro dos conformes que a lei exige, a confiabilidade da sua loja é reduzida e, consequentemente, oportunidades de venda serão perdidas.

Mas, calma. Mesmo que o seu e-commerce já esteja em operação há algum tempo, ainda é possível regularizar a sua loja online e oferecer os serviços da forma correta.

Veja só:

COMO REGULARIZAR UM E-COMMERCE – OS PRIMEIROS PASSOS

O primeiro passo deste guia é se dirigir a uma junta comercial ou no cartório de pessoas jurídicas.

Lá, o empreendedor efetua um registro que permite que as suas operações sejam efetuadas. Quando o registro é finalizado, o seu negócio passa a funcionar de maneira oficial.

Quando o registro é efetuado, será preciso conseguir os alvarás de localização e de funcionamento. As peculiaridades de cada um variam de município para município e, por isso, devem ser consultadas diretamente!

Mas esse ainda não é o último passo.  Ainda é preciso obter mais documentação.

E, o terceiro documento da lista é a inscrição estadual, Esses papéis são obrigatórios para empresas que lidem com setores de comunicação, energia, industriais, de comércio  e transportes interestaduais e intermunicipais.

Esse registro não depende de uma versão física da empresa. Ele também é válido para empresas que possuem um website. Além disso, quando você realiza a inscrição estadual, será possível receber o ICMS  (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

MAIS BUROCRACIA

Pode ser necessário que você obtenha a licença sanitária, que pode ser obtida através de órgãos federais, municipais ou estaduais de vigilância sanitária.

Essa licença é obrigatória para empresas que lidam com alimentos, cosméticos e medicamentos.

Por fim, mas não menos importante, há a licença ambiental.

A licença ambiental é obrigatória para empresas que lidam com a produção de tecidos e calçados, além de também ser exigida para produtos químicos, industriais em geral e de origem agropecuária.

Quando falamos de uma loja virtual, precisamos ter em mente que os clientes buscam qualidade, agilidade e segurança em suas compras. Uma das formas de mostrar a ele que é seguro comprar pelo seu negócio. Para isso, não esqueça de como regularizar um e-commerce e não deixe de aplicar as dicas aprendidas!

Se você ainda possuir dúvidas, entre em contato com a Mourão. Será um prazer atendê-lo!

Aproveite e descubra mais sobre a tributação para e-commerce!

Sucesso e até logo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
Buscar