skip to Main Content

Por que seu pro-labore não pode ser só um salário mínimo:

Quando uma pessoa investe seu tempo e dinheiro em uma empresa, ela não o faz somente pelo prazer, embora este seja fundamental para que se exerça bem uma atividade: o que importa é o lucro, em quanto tempo a empresa trará retorno e qual será o valor deste retorno.
Falando tecnicamente, na contabilidade há um princípio chamado “Princípio da Entidade”, que significa nada mais nada menos que: não misture suas contas pessoais com as contas da empresa. Não pague a conta de luz de sua casa com o caixa da empresa.
Isso não significa que você não pode usar o dinheiro da empresa. Significa somente que a empresa precisa pagá-lo, e assim, você empresário, paga suas contas pessoais.
Esse pagamento é feito através do Pró-labore, ou seja, o pagamento pelo seu trabalho. Muitos empresários fazem o holerite de pro-labore de um salário mínimo, apenas para recolher pouco para o INSS. E como se justifica a compra de seu carro novo de R$ 80.000,00? Ou seu almoço de R$ 200,00.?
Para que uma empresa seja sempre saudável, é preciso que o empresário retire sim, um bom valor de pró-labore, mas que este seja compatível com a realidade. Que se recolha o INSS e o IRPF se houve, mas do valor real que se retirou. E principalmente, que este valor seja registrado pela sua contabilidade. Os registros contábeis são a maneira mais confiável de saber se um negócio está caminhando ou não.
E repito: não misture suas contas pessoais com as de sua empresa. A chance de sua empresa crescer e durar é muito maior se você não o fizer. Este é somente um dos fatores. Há outros envolvidos, mas trataremos destes em outros artigos.
Consulte sempre um profissional da contabilidade. Se não tiver um de sua confiança, entre em contato conosco. Teremos prazer em atendê-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
Buscar